Nursing work in care practice at Emergency Care Units

Authors

  • Graciela Cabreira Gehlen RN, Ph.D., Professor. Instituto Federal do Paraná (IFPR), Brazil. email: graciela.gehlen@ifpr.edu.br.
  • Maria Alice Dias da Silva Lima RN, Ph.D., Professor. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brazil. email: malice@enf.ufrgs.br.

Keywords:

Nursing services; emergency medical services; emergency relief; prehospital care; health services

Abstract


Objective. To characterize nurses’ work process in care practice at Emergency Care Units.

Methodology. The research technique used was mixed-method research. In the quantitative phase, a questionnaire was applied to 47 nurses; in the qualitative phase, a sample of events was observed at an emergency unit.

Results. The activities the nurses most frequently developed were: a) care: risk assessment and classification (66%) and registering of clinical data (62%); b) management: task distribution (62%), shift organization (40%) data processing (36%), and material provision (28%). The nurses highlighted the users’ forwarding to appropriate care levels as the goal of their work (70%). The work instruments most frequently used were clinical decision-making (87%), listening and monitoring (83%) and the risk assessment protocol (68%).

Conclusion. Nurses’ work at Emergency Units is predominantly focused on care, with a great burden of management activities related to resource planning and provision for care practice.

|Abstract
= 35 veces | RESUMEN | RESUMO
= 7 veces| | PDF (ENGLISH)
= 22 veces| | HTML (ENGLISH)
= 5 veces| | HTML (PORTUGUÊS)
= 15 veces|

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

References

(1) Brasil. Ministério da Saúde. Institui a Política Nacional de Atenção às Urgências, a ser implantada em todas as unidades federadas, respeitadas as competências das três esferas de gestão. Portaria n° 1863 (Sept. 29, 2003).

(2) 2. Furtado BMASM. O trabalho do enfermeiro em emergência: representação social, comprometimento, satisfação e condições de trabalho - O caso do Hospital da Restauração [Dissertation]. Recife: Fundação Oswaldo Cruz; 2009.

(3) Marques GQ, Lima MADS. Demandas de usuários a um serviço de pronto atendimento e seu acolhimento ao sistema de saúde. Rev Latino-am Enfermagem. 2007; 15(1)13-9.

(4) Mendes Gonçalves RB. Práticas de saúde: processo de trabalho e necessidades. São Paulo: Centro de Formação dos Trabalhadores em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde; 1992.

(5) Almeida MCP. O trabalho de enfermagem. São Paulo: Cortez; 1997.

(6) Hausmann M, Peduzzi M. Articulação entre as dimensões gerencial e assistencial do Processo de Trabalho do Enfermeiro. Texto Contexto Enferm. 2009; 18(2):258-65.

(7) Rossi FR, Silva MADS. Fundamentos para processos gerenciais na prática do cuidado. Rev Esc Enferm USP. 2005; 39(4):.460-8.

(8) Silva AM. Processo de trabalho e atividades educativas de trabalhadores de enfermagem em hospitais públicos [Dissertation]. São Paulo: Escola de Enfermagem da USP. Universidade de São Paulo; 2010.

(9) Creswell JW. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativo e misto. 3rd ed. Trad: Magda Lopes. Porto Alegre: Artmed; 2010.

(10) Vieira S. Como elaborar questionários. São Paulo: Atlas; 2009.

(11) Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12nd. ed. São Paulo: Hucitec; 2010.

(12) Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 196. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. (Oct. 10, 1996).

(13) Shiroma LMB, Pires DEP. Classificação de risco em emergência - um desafio para as/os enfermeiras/os. Rev Enferm Foco. 2011; 2(1):14-7.

(14) Pires PS. Tradução para o português e validação de instrumento para triagem de pacientes em serviço de emergência: 'Canadian Triage and Acuity Scale' (CTAS) [Mestrado em Enfermagem]. São Paulo: Escola de Enfermagem da USP. Universidade de São Paulo; 2003.

(15) Garlet ER, Lima MADS, Santos JLG, Marques GQ. Organização do trabalho de uma equipe de saúde no atendimento ao usuário em situações de urgência e emergência. Texto Contexto Enferm. 2009; 18(2):266-72.

(16) Sá MC, Carreteiro TC, Fernandes MIA. Limites do cuidado: representações e processos inconscientes sobre a população na porta de entrada de um hospital de emergência. Cad Saude Publica. 2008; 24(6):1334-43.

(17) Santos JLG, Lima MADS. Gerenciamento do cuidado: ações dos enfermeiros em um serviço hospitalar de emergência. Rev Gaucha Enferm. 2011; 32(4):695-702.

(18) Gaidzinski RR, Fugulin FMT. Castilho V. Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem em Instituições de Saúde. In: Kurcgant P. (Org.) Gerenciamento em enfermagem. São Paulo: Guanabara Koogan; 2005.

(19) Peres AM, Ciampone MHT. Gerência e competências gerais do enfermeiro. Texto Contexto Enferm. 2006; 15(3): 492-9.

(20) Brusamolin L, Montezeli JH, Peres AM. Use of the managerial abilities by nurses of a ready attendance hospital. Rev Enferm UFPE. 2010; 4(2):818-24.

Published

2013-04-05

How to Cite

Cabreira Gehlen, G., & da Silva Lima, M. A. D. (2013). Nursing work in care practice at Emergency Care Units. Investigación Y Educación En Enfermería, 31(1). Retrieved from https://revistas.udea.edu.co/index.php/iee/article/view/15048

Issue

Section

ORIGINAL ARTICLES / ARTÍCULOS ORIGINALES / ARTIGOS ORIGINAIS

Similar Articles

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 > >> 

You may also start an advanced similarity search for this article.