Integrality: life principle and right to health

  • Selma Maria Fonseca Viegas RN, Ph.D. Professor, Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Centro-Oeste, Divinópolis-MG, Brazil. email: selmamfv@yahoo.com.br
  • Cláudia Maria de Mattos Penna RN, Ph.D. Professor, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brazil. email: cmpenna@enf.ufmg.br
Keywords: Comprehensive health care, health services accessibility, right to health, the family health strategy, sistema único de salud.

Abstract

Objective. To understand the health integrality in the daily work of Family Health Strategy (FHS) and its concept according to the managers in Jequitinhonha Valley, Minas Gerais, Brazil. Methodology. This is a multiple case study of holistic and qualitative approach based on the Quotidian Comprehensive Sociology. The subjects were workers of the Family Health Strategy teams, the support team and managers in a total of 48. Results. The results show the integrality as a principle of life and right to health and to contemplate it in the quotidian of doings in health, others principles of the Unified Health System may be addressed consecutively. The universal right to health care needs is declared in contemplation of integrity of being, the idealization of a subject-centered care, one that is our aim in health care, which signals a step towards a change of attitude in seeking comprehensive care. Conclusion: It is considered that the principle of integrality is a difficult accomplishment in its dimensions. How to cite this article: Viegas SMF, Penna CMM. Integrality: life principle and right to health. Invest Educ Enferm. 2015; 33(2):

Downloads

Download data is not yet available.

References

(1) Harzheim E. Texto Referência – Atenção Primária na Saúde (APS) [Internet]. Brasília– DF: Ministério da Saúde; 2009. Available from: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/100309_texto_referencia_final.pdf

(2) Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação em Saúde. Coordenação Geral de Doenças e Agravos Não-Transmissíveis. Política Nacional de Promoção da Saúde [Internet]. Brasília– DF: Ministério da Saúde; 2006. 38p. Available from: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/Politica_nacional_%20saude_nv.pdf

(3) Alves VS. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface (Botucatu). 2005; 9(16):39-52.

(4) Viegas SMF, Penna CMM. Integrality and attention to the population’s health care in brazilian district. A qualitative study. Online Braz J Nurs [Internet]. 2009 [cited 2014 Aug 3]; 8(2). Available from: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/j.1676-4285.2009.2214/491

(5) Viegas SMF. A integralidade no cotidiano da Estratégia Saúde da Família em municípios do Vale do Jequitinhonha-Minas Gerais. Orientadora: Cláudia Maria de Mattos Penna. 2010. 282 f. (Dissertation). Escola de Enfermagem, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte; 2010.

(6) Maffesoli M. O conhecimento comum: compêndio de sociologia compreensiva. Tradução de Aluizo Ramos Trinta. São Paulo: Brasiliense; 1988. 294 p.

(7) Arias MM, Giraldo CV. El rigor científico en la investigación cualitativa. Invest Educ Enferm. 2011; 29(3):500-14.

(8) Yin RK. Estudo de caso: planejamento e métodos. Trad. Daniel Grassi. 3 rd Ed. Porto Alegre: Bookman; 2005. 212 p.

(9) Bardin L. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011. 279 p.

(10) Camargo KR Jr, Campos EMS, Bustamante-Teixeira MT, Mascarenhas MTM, Mauad NM, Franco TB, et al. Avaliação da atenção básica pela ótica político-institucional e da organização da atenção com ênfase na integralidade. Cad Saúde Pública. 2008; 24(1):58-68.

(11) Fujii CDC, Oliveira DLLC. Factors that hinder of integrality in dialysis care. Rev Latino-Am Enfermagem. 2011; 19(4):953-9.

(12) Asensi FD, Pinheiro R. Quando direito e economia se encontram: governamentalidade e efetivação do direito à saúde. In: Cuidar do cuidado: responsabilidade com a integralidade das ações de saúde. Org. Roseni Pinheiro, Ruben Araújo de Mattos. Rio de Janeiro: CEPESC: IMS/UERJ: ABRASCO; 2008. p. 79-96.

(13) Fortes PAC. Reflexão bioética sobre a priorização e o racionamento de cuidados de saúde: entre a utilidade social e a equidade. Cad Saúde Pública. 2008; 24(3):696-701

(14) Vieira-da-Silva LM, Almeida Filho N. Equidade em saúde: uma análise crítica de conceitos. Cad Saúde Pública. 2009; 25(2):217-26.

(15) Mattos RA. Direito, Necessidades de Saúde e Integralidade. In: Roseni Pinheiro e Ruben Araujo de Mattos (Org). Construção social da demanda: direito à saúde, trabalho em equipe, participação e espaços públicos. Rio de Janeiro: CEPESC/UERJ: ABRASCO, 2005. p. 33-46.

(16) Pinheiro R, Guizardi FL, Machado FRS, Gomes RS. Demanda em Saúde e Direito à Saúde: Liberdade ou necessidade? Algumas considerações sobre os nexos constituintes das práticas de integralidade. In: Roseni Pinheiro e Ruben Araujo de Mattos (Org). Construção social da demanda: direito à saúde, trabalho em equipe, participação e espaços públicos. Rio de Janeiro: CEPESC/UERJ: ABRASCO, 2005. p. 11-31.

(17) Silva SED, Ramos FRS, Martins CR, Padilha MI, Vasconcelos EV. Citizen constitution and social representations: reflecting about health care models. Rev Esc Enferm. USP. 2010; 44(4):1112-7.

(18) Favoreto CAO. Obstáculos à ampliação da competência dialógica e interpretativa da clínica de médicos atuando na atenção primária. In: Roseni Pinheiro e Ruben Araujo de Mattos (Org). Razões públicas para a integralidade em saúde: o cuidado como valor. Rio de Janeiro: CEPESC – IMS/UERJ: ABRASCO; 2007. p. 213-229

(19) Maffesoli M. Le réenchantement du monde: une éthique pour notre temps. Paris: Éditions de La Table Ronde; 2007. 206 p.

(20) Merhy EE. Engravidando palavras: o caso da integralidade. In: Roseni Pinheiro e Ruben Araujo de Mattos (Org). Construção social da demanda: direito à saúde, trabalho em equipe, participação e espaços públicos. Rio de Janeiro: CEPESC/UERJ: ABRASCO; 2005. p. 195-206.

(21) Bergamaschi FPR, Teles SA, Souza ACS, Nakatami AYK. Reflexões acerca da integralidade nas reformas sanitária e agrária. Text Contexto Enferm. 2012; 21(3):667-74.

(22) Shimizu HE, Rosales C. Family perspective on a family care program. Rev Latino-Am. Enfermagem 2008; 16(5):883-8.

(23) Viegas SMF, Hemmi APA, Santos RV, Penna CMM. O cotidiano da assistência ao cidadão na rede de saúde de Belo Horizonte. Physis. 2010; 20(3):769-84.

Published
2015-06-04
How to Cite
Fonseca Viegas, S. M., & de Mattos Penna, C. M. (2015). Integrality: life principle and right to health. Investigación Y Educación En Enfermería, 33(2). Retrieved from https://revistas.udea.edu.co/index.php/iee/article/view/23004
Section
ORIGINAL ARTICLES / ARTÍCULOS ORIGINALES / ARTIGOS ORIGINAIS