Seguridad individual y esclavitud en los informes policiales (Brasil, 1840-1880)

Autores/as

  • Larissa Biato de Azevedo Universidad Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

DOI:

https://doi.org/10.17533/udea.trahs.n19a07

Palabras clave:

Estado, policía, esclavitud, imperio brasileño

Resumen


En el Brasil del siglo XIX, el desarrollo de la institución policial hizo posible el surgimiento de narrativas sobre prácticas que atentaban contra la vida y la propiedad, entre otros hechos ocurridos en las Provincias. El objetivo de este trabajo es reflexionar sobre las particularidades de la cotidianidad policial en Brasil imperial a partir de la relación entre seguridad individual y esclavitud manifestada en los informes policiales. Se verá cómo estos breves informes surgieron y ganaron espacio en el ámbito de la administración de seguridad en el Imperio, presentando sucesos en los que los esclavos figuraban como objetos y autores de delitos. Se indica cómo estos hechos impregnaron la historia de la policía en el país.

|Resumen
= 162 veces | PDF (PORTUGUÊS (BRASIL))
= 328 veces| | HTML (PORTUGUÊS (BRASIL))
= 106 veces| | VISOR (PORTUGUÊS (BRASIL))
= 103 veces|

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Métricas

Cargando métricas ...

Biografía del autor/a

Larissa Biato de Azevedo, Universidad Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Maestra en Historia por la Universidad Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho y estudiante del doctorado en Historia de la misma institución.

Citas

Fontes

Manuscritas

Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano, Recife (APEJE)

Fundo Governo

Arquivo Público do Estado de São Paulo, São Paulo (APESP)

Fundo Secretaria de Governo da Província

Fundo Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo

Impressas

Coleção das Leis do Império do Brasil (1822-1889). https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/colecao-anual-de-leis (20/04 2020).

Legislação Informatizada. https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao (22/09/2020).

Malheiro, Agostinho Marques Perdigão. A escravidão no Brasil: ensaio histórico, jurídico e social. Volume 1. Petrópolis / Brasília: Editora Vozes / Instituto Nacional do Livro, 1976.

Nabuco, Joaquim. Um estadista do Império. Nabuco de Araújo: sua vida, suas opiniões, sua época. Tomo 2. Rio de Janeiro: H. Garnier, 1897.

Pimenta Bueno, José Antônio. Apontamentos sobre o processo criminal brasileiro. Rio de Janeiro: Empreza Nacional do Diário, 1857.

Pimenta Bueno, José Antônio. Direito público brazileiro e anályse da Constituição do Império. Rio de Janeiro: Typographia Imp. e Const. de J. Villeneuve e C., 1857.

Vasconcellos, José Marcelino Pereira de. Roteiro dos Delegados e Subdelegados de Polícia, ou coleção dos atos, atribuições e deveres destas autoridades: fundamentada na legislação competente e na prática estabelecida, composto para o uso dos mesmos juízes. Rio de Janeiro: Tipografia Imp. e Const. de J. Villeneuve e C., 1857.

Periódicos

Gazeta Official do Imperio do Brasil (Rio de Janeiro) 1846-1848.

Relatórios e falas dos Presidentes de Província (Pernambuco) 1852, 1865.

Relatórios e falas dos Presidentes de Província (São Paulo) 1841, 1871, 1880.

Relatórios Ministeriais – Justiça 1840, 1853, 1854, 1876.

Bibliografia

Algranti, Leila Mezan. O feitor ausente. Estudo sobre a escravidão urbana no Rio de Janeiro (1808-1822). Petrópolis: Vozes, 1988.

Assis, Patrícia Marciano de. “Cidade da Polícia ou Polícia da Cidade? A Chefatura de Polícia e os imperativos da segurança individual na província do Ceará”. Dissertação de mestrado em História, Universidade Estadual do Ceará, 2016.

Azevedo, Célia Maria Marinho de. Abolicionismo: Estados Unidos e Brasil, uma história comparada (século XIX). São Paulo: Annablume, 2003.

Azevedo, Célia Maria Marinho de. Onda negra, medo branco: o negro no imaginário das elites - século XIX. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

Bretas, Marcos Luiz. A guerra das ruas: povo e polícia na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Gramma, 2018.

Campos, Adriana Pereira. “Nas barras dos tribunais: direito e escravidão no Espírito Santo do século XIX”. Tese de doutorado em História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2003.

Campos, Adriana Pereira. “Crime e escravidão: uma interpretação alternativa”. Nação e cidadania no Império: novos horizontes. Org. José Murilo de Carvalho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

Carvalho, Marcus Joaquim Maciel de. Liberdade: rotinas e rupturas do escravismo no Recife 1822-1850. Editora Universitária da Universidade Federal de Pernambuco, 1998.

Carvalho, Marcus Joaquim Maciel de. “‘Quem furta mais e esconde’: o roubo de escravos em Pernambuco, 1832-1855”. Estudos Econômicos 17 (1987): 89-110.

Chalhoub, Sidney. A força da escravidão: ilegalidade e costume no Brasil oitocentista. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

Conrad, Robert Edgar. Tumbeiros: o tráfico escravista para o Brasil. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985.

Dias, Maria Odila Leite da Silva. A interiorização da metrópole e outros estudos. São Paulo: Alameda, 2005.

Dolhnikoff, Miriam. O pacto imperial: origens do federalismo no Brasil do século XIX. São Paulo: Globo, 2005.

Faria, Regina Helena Martins de. “Em nome da ordem: a constituição dos aparatos policiais no universo luso-brasileiro (séculos XVIII e XIX)”. Tese de doutorado em História, Universidade Federal de Pernambuco, 2007.

Ferreira, Ricardo Alexandre. Crimes em comum: escravidão e liberdade sob a pena do Estado Imperial brasileiro (1830-1888). São Paulo: Editora da Unesp, 2011.

Flory, Thomas. El juez de paz y el jurado en el Brasil imperial. Control social y estabilidad política en el nuevo Estado. México: Fondo de Cultura Económica, 1986.

França, Jean Marcel Carvalho. Ilustres ordinários do Brasil. São Paulo: Editora da Unesp, 2018.

Holloway, Thomas H. Polícia no Rio de Janeiro: repressão e resistência numa cidade do século XIX. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1997.

Lara, Silvia Hunold. Campos da violência: escravos e senhores na Capitania do Rio de Janeiro, 1750-1808. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

Machado, Maria Helena Pereira Toledo. Crime e escravidão. Trabalho, luta e resistência nas lavouras paulistas 1830-1888. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987.

Maia, Clarissa Nunes. “Policiados: controle e disciplina das classes populares na cidade do Recife, 1865-1915”. Tese de doutorado em História, Universidade Federal de Pernambuco, 2001.

Mattos, Ilmar Rohloff de. “Construtores e herdeiros: a trama dos interesses na construção da unidade política”. Almanack Braziliense 1 (2005): 8-26. Doi: https://doi.org/10.11606/issn.1808-8139.v0i1p8-26.

Mello, Janaina Cardoso de. “Negros escravos, negros papa-méis: fugas e sobrevivência africana nas matas de Alagoas e Pernambuco no século XIX”. Revista África e Africanidades 1.2 (2008). https://africaeafricanidades.online/documentos/Negros_escravos_negros_papa-meis.pdf.

Menezes, Lená Medeiros de e Márcia de Almeida Gonçalves. “Do Diario Official do Imperio do Brazil e Diário Oficial da União ao e-Diário Oficial: conjunturas e sentidos (1862-2019)”. População e Sociedade 32 (2019): 51-64.

Oliveira, Maria Luiza Ferreira de. “As guerras nas matas de Jacuípe”. Clio. Revisa de Pesquisa Histórica 33.2 (2015): 100-138.

Parron, Tâmis. A política da escravidão no Império do Brasil, 1826-1865. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

Pimentel Filho, José Ernesto. “A produção do crime: violência, distinção social e economia na formação da província cearense”. Tese de doutorado em História Econômica, Universidade de São Paulo, 2002.

Pirola, Ricardo Figueiredo. Escravos e rebeldes nos tribunais do Império: uma história social da lei de 10 de junho de 1835. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2015.

Queiroz, Suely Robles Reis de. Escravidão negra em São Paulo: um estudo das tensões provocadas pelo escravismo no século XIX. Rio de Janeiro / Brasília: José Olympio / Instituto Nacional do Livro, 1977.

Ribeiro, João Luiz de Araújo. No meio das galinhas as baratas não têm razão: a lei de 10 de junho de 1835 - os escravos e a pena de morte no Império do Brasil, 1822-1889. Rio de Janeiro: Renovar, 2005.

Rosemberg, André. De chumbo e festim. Uma história da Polícia Paulista no final do Império. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, 2010.

Salles, Vicente. O negro no Pará. Sob o regime da escravidão. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas / Universidade Federal do Pará, 1971.

Silva, Wellington Barbosa da. Entre a liturgia e o salário: a formação dos aparatos policiais no Recife do século XIX (1830-1850). Jundiaí: Paco Editorial, 2014.

Silva, Wellington Barbosa da. “‘Uma autoridade na porta das casas’: os inspetores de quarteirão e o policiamento no Recife do século XIX (1830-1850)”. Saeculum 17 (2007): 27-41.

Soares, Joice de Souza. “A polícia oitocentista entre a inovação e a tradição”. Tese de doutorado em História, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2019.

Soares, Joice de Souza. “Considerações sobre uma polícia preventiva: discursos políticos e a natureza da atividade policial no Brasil oitocentista”. Almanack 15 (2017): 71-105. Doi: https://doi.org/10.1590/2236-463320171504.

Vellasco, Ivan de Andrade. “Policiais, pedestres e inspetores de quarteirão: algumas questões sobre as vicissitudes do policiamento na província de Minas Gerais (1831-1850)”. Nação e cidadania no Império: novos horizontes. Org. José Murilo de Carvalho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

Vellasco, Ivan de Andrade e Cristiana Viegas de Andrade. “Crime and Violence in Brazilian History: A Century-Long Trend in Minas Gerais State (1830-1929)”. Crime, History and Societies 24 (2020): 29-54. Doi: https://doi.org/10.4000/chs.2687.

Vieira, Hermes e Osvaldo Silva. História da polícia civil de São Paulo. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1955.

Weimer, Gregory Kent. “Policing Slavery: Order and the Development of Early Nineteenth-Century New Orleans and Salvador”. Tese de doutorado em História, Florida International University, 2015.

Wissenbach, Maria Cristina Cortez. Sonhos africanos, vivências ladinas. Escravos e forros em São Paulo (1850-1880). São Paulo: Editora Hucitec, 1998.

Publicado

2022-01-28

Cómo citar

Biato de Azevedo, L. (2022). Seguridad individual y esclavitud en los informes policiales (Brasil, 1840-1880). Trashumante. Revista Americana De Historia Social, (19), 140–161. https://doi.org/10.17533/udea.trahs.n19a07

Número

Sección

Investigación

Artículos similares

<< < 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 > >> 

También puede Iniciar una búsqueda de similitud avanzada para este artículo.