Costo de Conformidad Tributaria en el proceso de implementación de las herramientas del Gobierno Electrónico: Una percepción de los profesionales de multinacionales en Brasil

  • Marcus Vinicius Moreira Zittei Fundação Escola de Comercio Alvares Penteado
  • Maisa Borges Soares Fundação Escola de Comercio Alvares Penteado
  • Leonardo Fabris Lugoboni Fundação Escola de Comercio Alvares Penteado
Palabras clave: Gobierno Electrónico, SPED, Conformidad Tributaria

Resumen

El objetivo de este trabajo es percibir la noción de profesionales que se utilizó sobre el costo de conformidad tributaria en la implementación de herramientas del Gobierno Electrónico, tomando como muestra de investigación una parte del sector administrativo de una multinacional en Brasil situada en la Región Metropolitana de São Paulo. En esta perspectiva, el estudio se enfocó en comprender lo que es Gobierno Electrónico en este contexto de globalización, su aplicación y resultados en determinada empresa, buscando demostrar las expectativas de estas herramientas –como el SPED (Sistema Público de Contabilidad Digital, por sus siglas en portugués, Sistema Público de Escrituração Digital)– y, verificar también los costos para entender los mismos. La metodología aplicada fue realizada a través de un cuestionario para toda el área fiscal ligada directamente a las obligaciones accesorias de la empresa y una parte del área contable. El  resultado obtenido demuestra lapercepción que tienen estos profesionales de que el Gobierno Electrónico trajo más control, pero modificando y aumentando su práctica y rutinas, cambios que afectaron a la empresa como un todo, desde el conocimiento de sus profesionales hasta la estructura de los sistemas internos de la empresa. Los hechos anteriores generan costos para estar de acuerdo con las exigencias tributarias, siendo necesario reconocer y controlar todo el costo empleado con el fin de evidenciar claramente la realidad de estos profesionales, empresa, gobierno y sociedad impactados en el seguimiento y aplicación de estar en conformidad.
|Resumen
= 43 veces | PDF
= 42 veces|

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Andrade, A. F. (2012). Governo Eletrônico: possibilidades e desafios na perspectiva das Ciências Sociais (Resumos de pesquisa/2012), Rio de Janeiro, RJ, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica, PUC-Rio. Recuperado em 24 maio, 2014 http://www.puc-rio.br/pibic/relatorio_resumo2012/res_ccs_soc.html.

Araújo, T. S. (2008). Economia digital: estruturação de uma proposta de modelo para mensuração de serviços de e-gov fornecido por portais eletrônicos municipais. Dissertação (Mestrado em Administração), Escola Superior de Administração e Gerência - ESAG, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, Recuperado em 6 abril, 2014, http://www.egov.ufsc.br/portal.

Bertolucci, A. V. (2001). Uma contribuição ao estudo da incidência dos custos de conformidade às leis e disposições tributárias: um panorama mundial e pesquisa dos custos das companhias de capital aberto no Brasil. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis), Faculdade de Administração Economia e Contabilidade, Universidade de São Paulo, FEA/USP.

Bertolucci, A. V. (2005). O custo de administração dos tributos federais no Brasil: comparações internacionais e propostas para aperfeiçoamento. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis), Faculdade de Administração Economia e Contabilidade, Universidade de São Paulo, FEA/USP

Braga, L. V., Alves, W. S., da Costa Figueiredo, R. M., & dos Santos, R. R. (2008). O papel do governo eletrônico no fortalecimento da governança do setor público. Revista do Serviço Público, 59(1), p-05.

Brasil. (2007). Decreto nº 6022, de 22 de janeiro de 2007. Institui o Sistema Público de Escrituração Digital – Sped. Recuperado em 17 março, 2014, http://www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/Decretos/2007/dec6022.htm>.

Brasil. (2000). Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências.Recuperado em 15 maio, 2014, http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp 101.htm>.

Brasil. (2012). Receita Federal. Instrução Normativa nº 1252, de 01 de março de 2012. Dispõe sobre a Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Contribuição Previdenciária sobre a Receita (EFD-Contribuições). Recuperado em 17 março, 2014, http://www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/ins/2012/in12522012.htm.

Cervi, E. U., & Massuchin, M. G. (2014). Metodologia quantitativa em pesquisas sobre cobertura jornalística: análise da eleição municipal de 2012 na Folha de S. Paulo. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, 20(3), 840-865.

Coelho, E. M. (2014). Governo eletrônico e seus RSP impactos na estrutura e na força de trabalho das organizações públicas. Revista do Serviço Público, 52(2), p-110.

Costa, L. A., Oliveira, P. C. D., Dandolini, G. A., & Souza, J. A. D. (2014). Adoção de tecnologias de serviços de governo eletrônico: análise de estudos quantitativos no âmbito internacional. Liinc em Revista, 10(1), 398-414.

Cunha, M. A. V. C. (2005). Meios eletrônicos e transparência: a interação do vereador brasileiro com o cidadão e o poder executivo. X Congreso Internacional del CLAD sobre la reforma del Estado y de la Administración Pública, Santiago, Chile. Outubro.

da Costa, A. J. D., dos Santos, C. L., Tannus Filho, E. J., Soares, M. C. P., & Ribeiro, R. S. (2010). Sistema Público de Escrituração Digital (SPED): A nova tecnologia de informação da área contábil e fiscal. ETIC-ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA-ISSN 21-76-8498, 6(6).

De Almeida, M. O. (2003). A experiência do Brasil em governo eletrônico. VIII Congreso Internacional del CLAD sobre la reforma del Estado y de la Administración Pública, Panamá. Outubro. p.1-23.

Diniz, E. H., Barbosa, A. F., Junqueira, A. R. B., & Prado, O. (2009). O governo eletrônico no Brasil: perspectiva histórica a partir de um modelo estruturado de análise. Revista de Administração Pública, 43(1), 23-48.

Geron, C. M. S., Finatelli, J. R., de Faria, A. C., & do Carmo Romeiro, M. (2011). SPED–Sistema Público de Escrituração Digital: Percepção dos contribuintes em relação os impactos de sua adoção. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 5(2), 44-67.

Ferreira, F. (2012). Concepção de um método de mensuração dos custos de conformidade tributária: o caso da EMATER/RS - ASCAR. 205 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, São Leopoldo, RS.

Frey, Klaus. (2001). Governança eletrônica: experiências de cidades europeias e algumas lições para países em desenvolvimento. Internet e política: teoria e prática da democracia eletrônica. IP Informática Pública, 3(1), p. 141-163.

Maia, G., Pessoa, M., Santos, S., & Cabral, A. (2008). Custos de Conformidade à Tributação: Uma análise da percepção de gestores e colaboradores em uma empresa estadual de saneamento. ABCustos Associação Brasileira de Custos, 3(3), 45-67.

Mello, G. R. (2009). Estudo das práticas de governança eletrônica: instrumento de controladoria para a tomada de decisões na gestão dos estados brasileiros (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Miyoshi, R. K., & Nakao, S. H. (2012). Riscos de Conformidade Tributária: Um estudo de caso no estado de São Paulo. Revista de Contabilidade e Organizações, 6(14), 46-76.

Moreira, C. H. A., Borges, E. F., Fernandes, B. V. R., & Marcelino, G. F. (2010). Políticas Públicas de Governo Eletrônico: Uma análise das práticas de controle e avaliação na gestão de convênios das entidades privadas sem fins lucrativos com o governo federal. Anais...In: CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA, 3, Brasília.

Receita Federal do Brasil. (2014). Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). Recuperado em 12 março, 2014, http://www1.receita.fazenda.gov.br/sobre-o-projeto/apresentacao.htm.

Rezende, D. A., & Frey, K. (2005). Administração estratégica e governança eletrônica na gestão urbana. Revista Eletrônica de Gestão de Negócios, 1(1), 51-59.

Santos, L. A.; Cardoso, R. L. S. (2009). Governo Eletrônico no Brasil: modernização do estado e políticas para inclusão digital no contexto do ajuste fiscal. TCU, 1-46

Silva, A., Passos, G., Gallo, M., & Peters, M. (2013). SPED – Sistema Público de Escrituração Digital: influência nos resultados econômico-financeiros declarados pelas empresas. RBGN Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 15(48), 445-461. doi:http://dx.doi.org/10.7819/rbgn.v15i48.1330

Silva Filho, A. M. (2004). Governo Eletrônico no Brasil. Revista Espaço Acadêmico, 4(37).

Vilella, R. M. (2003). Conteúdo, usabilidade e funcionalidade: três dimensões para a avaliação de portais estaduais de governo eletrônico na web (Doctoral dissertation, Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação.).

Zittei, M. V. M., Carpes, A. M. S., Lavarda, C. E. F., & Martins, G. A. (2013). O custo de conformidade à tributação no processo orçamentário: um estudo de caso em uma indústria alimentícia. Anais... In: XX Congresso Brasileiro de Custo, Uberlândia, Minas Gerais: p. 1-12

Zittei, M. V. M. & Amorim, A. F. G. (2014). Governança tributária empresarial após implantação de governo eletrônico. Anais... In: 11th International Conference on Information Systems and Technology Management – CONTECSI, 2014, São Paulo, São Paulo: p. 1-16.

Publicado
2015-09-23
Cómo citar
Zittei M. V. M., Soares M. B., & Lugoboni L. F. (2015). Costo de Conformidad Tributaria en el proceso de implementación de las herramientas del Gobierno Electrónico: Una percepción de los profesionales de multinacionales en Brasil. Contaduría Universidad De Antioquia, (65), 213-231. Recuperado a partir de https://revistas.udea.edu.co/index.php/cont/article/view/24404
Sección
Artículos