O verdadeiro valor do balanço: fórmula de energia patrimonial efetiva que demonstra a prosperidade

Autores/as

  • Rodrigo Antonio Chaves da Silva Faculdades Integradas de Caratinga

Palabras clave:

Valor efetivo do capita, Capital substancial, análise da prosperidade

Resumen


A importância dada à qualidade demonstrativa da informação contábil, sempre procurou destacar qual seria o verdadeiro poder substancial do capital, condicionado ao funcionamento, desse modo, se questionava qual era o efetivo valor da riqueza nos balanços como basilar problema. Todas as principais perspectivas teóricas, em especial as dos grandes doutrinadores, procuraram dar uma devida ênfase ao uso da informação para saber o grau de prosperidade de um patrimônio, sendo assim, cada um a seu ver procurou desenvolver fórmulas que promovem uma análise profunda mantendo uma lacuna sobre tal essência que será explorada por nós. A finalidade desse trabalho é tentar apresentar uma proposta que procure sintetizar um cálculo, para demonstrar a síntese das teorias expostas, a fim de mensurar a prosperidade; e como tal fato é um dos mais importantes a serem estudados, e é a razão da contabilidade gerencial e da tecnologia de consultoria contábil e doutrina moderna neopatrimonialista, denota-se a importância do artigo, em razão da relevância do tema. O artigo usa entre os recursos da lógica matemática, um referencial principal e análise para o tratamento do problema cuja discussão permanecerá atualizada para investigação de outros pesquisadores que se interessem e promovam mais estudos em torno desse longo caminho a ser percorrido.

|Resumen
= 24 veces | PDF
= 12 veces|

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Citas

Aristóteles (2001). Da geração e da Corrupção seguido de convite à filosofia. Tradução de Renata Maria Parreira Cordeiro. São Paulo: Landy Editora.

Besta, Fabio (1922). La Ragioneria. 2º Ed. Milano: Cada editrice Dottor Francesco Vallardi.

Carneiro, Erymá (sem data). Aspectos Jurídicos do Balanço. São Paulo: Edição da Revista das Sociedades Anônimas, sem data. Coleção Biblioteca do Contador, VIII Volume.

Cerboni, Giuseppe (1886). La Ragioneria Scientifica. Roma: Ermanno Loescher.

D`auria, Francisco (1953). Variação do Valor Efetivo do Capital. São Paulo: Ed. Atlas.

____ (1959). Primeiros Princípios de Contabilidade Pura. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

Dias, Fernando Caetano (1944). A técnica da Leitura dos Balanços. 2ª ed. Lisboa: Livraria Moraes.

Einstein, Albert & Infeld, Leopold (1988). A evolução da Física. 4ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara.

Florentino, Américo Mateus (1963). Classificação de Patrimônio para uma análise econômica dos Balanços das empresas. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas.

______ (1990). Análise Contábil: Analise de Balanços. 9º Ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas._

_____ (1976). Análise de Balanço para companhias de Seguros. São Paulo: Ed. Manuais Técnicos de Seguros.

Franco, Hilário (1950). Fundamento Científico da Contabilidade. São Paulo: Ed. Revisora Gramatical.

_____ (1961). Contabilidade Geral. 6ª edição. São Paulo: Ed. Atlas.

_____ (1973). Estrutura, análise e interpretação de balanço. 12. Ed. São Paulo: Atlas.

Kant, Emmanuel (sem data). Crítica da Razão Pura. Tradução de J. Rodrigues de Mereje. Rio de Janeiro: Ed. Tecnoprint.

Masi, Vincenzo (1971). La Scienza del Patrimônio. Milano: Nicola Milano Editore.

______ (1945). Statica Patrimoniale. 2ª ed. Padova: Casa Editrice Dottore Antonio Milani.

______ (1955). Filosofia della Ragioneria. Bolonha: Dott. Cesare Zuffi – Editore.

______ (1939). Analisi finanziarie e reddituali in relazione al capitale in gestione nelle imprese. Milano: Cada editrice Dottor Francesco Vallardi

.____ (1947). Dinamica Patrimoniale. Padova: Casa Editrice Dottore Antonio Milani, V I e II.

Mello, Carlos Espírito Santo S. de (1953). Análise de Balanços (da empresa, sob o ponto de vista financeiro). Lisboa: Portugália Editora.

Nascimento, Jose Olavo (1975). Contabilidade. 2ª ed. Porto Alegre: Estilo._______ (1969). Apontamentos de Contabilidade Geral. Porto Alegre: UFRGS – DAECA.

Pfatzgraff, Rogério (1956). Aspectos científicos da contabilidade. 3º edição. Rio de Janeiro: Livraria Tupã.

Rossi, Giovanni Rossi (1882). L`ente Econômico-amministrativo. Emilia: Stabilimento Tipo-Litografico Degli Artigianelli.

SÁ, Antonio Lopes (1992). Teoria geral do conhecimento contábil. Belo Horizonte: IPAT-UNA.

_____ (1953). Filosofia da Contabilidade. Rio de Janeiro: Ed. Aurora.

_____ (1965). Teoria do capital das empresas. Rio de Janeiro: FGV.

_____ (1959). O equilíbrio do Capital das Empresas. Belo Horizonte: Estabelecimentos Gráficos Santa Maria S/A._

____ (1973). Curso Superior de Análise de Balanços. 3ª ed. São Paulo: Ed. Atlas. Volume I e II

_____ (1999). Teoria da Contabilidade. São Paulo: Ed. Atlas.

_____ (1971). Estudo Analítico da Rentabilidade das Empresas. Rio de Janeiro: APEC.

_____ (2005). Moderna Analise de Balanços ao Alcance de todos. Curitiba: Ed. Juruá.

Silva, Rodrigo Antonio Chaves da (2012). Introdução à moderna contabilidade geral. Curitiba: Juruá.

_______ (2007). Teoria do Neopatrimonialismo filosófico. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional do Ministério da Cultura.

_______ (2006). Filosofia da Análise da Estabilidade da Liquidez. Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, SC, v. 4, nº 11, CRCSC.

______ (2007). O equilíbrio do capital e a sua intensidade: pontos da filosofia Neopatrimonialista. Revista Catarinense da Ciência Contábil. CRCSC, Florianópolis, Ano 6, nº 18, Agosto/ Novembro de 2007.

Steinstrasser, Albino Mathias (1957). Estrutura e análise de Balanços. 2ª ed. Porto Alegre: Editora Sulina.

Viana, Cibilis da Rocha (1962). O estudo da gestão na Contabilidade. Porto Alegre: impressa universitária.

Zappa, Gino (1950). Il Rédito di Impresa. 2ª edição.Milão: Dott. A. Giuffrè - Editore.

Descargas

Publicado

2014-03-17

Cómo citar

Chaves da Silva, R. A. (2014). O verdadeiro valor do balanço: fórmula de energia patrimonial efetiva que demonstra a prosperidade. Contaduría Universidad De Antioquia, (61), 37–63. Recuperado a partir de https://revistas.udea.edu.co/index.php/cont/article/view/18889

Número

Sección

Artículos
w