Policy and epistemologial aspects of the foundations of communication research in Brazil

Authors

  • Luís Mauro Sá Martino Cásper Líbero College

Keywords:

communication, epistemology, policy, communication Theory

Abstract

This paper outlines the relationship between academic policy and the epistemological foundations of Communication studies, drawing on bibliographical research. The text creates a studies between these elements, and aims to hightlight the political and professional demand for Communication Studies when it was first established as an research area. This is not claiming that policy has determined the scientific. The goal is to highlight the resonance of political matters on communication Studies, particularly the gap between its institutional and epistemological aspects: Communication is a well-established academic degree, but it still lacks some epistemological foundations. The paper also argues that the current epistemological debate on Communication may put both aspects apace.

|Abstract
= 85 veces | PDF (ESPAÑOL (ESPAÑA))
= 47 veces|

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Luís Mauro Sá Martino, Cásper Líbero College

Doctor in Social Sciences from the Pontifical Catholic University of São Paulo. Professor at PPG in Communication at Faculdade Cásper Líbero – São Paulo, Brazil.

References

Afonso, M. A. (2006). Ensino: sonhos e pesadelos do curso pioneiro. In: Melo, José Marques. Pedagogia da Comunicação: matrizes brasileiras. São Paulo: Angellara.

Barbosa, Marialva. (2004). A pesquisa em Comunicação no século XXI: bases para uma nova ciência? In: Melo, José Marques; Gobbi, Maria Cristina. Pensamento comunicacional latino-americano. São Paulo: Unesco/Metodista.

Bourdieu, Pierre (1983). Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero.

Braga, José Luiz (2001). Constituição do campo da Comunicação. In: Fausto Neto, Antonio et al. Práticas midiáticas e espaço público.Porto Alegre: Ed. UFRGS,

Bryant, Jennings e Thompson, Susan. (1998). Graduate Communication Programs. IN: Christ, William G. Leadership in times of change. Londres: Routledge.

Bryant, J. e Miron, Dorina. (2004). Theory and research in mass communication. Journal of Communication. Vol. 54, No. 4, Dec.

Doria, F. Dossiê. In: Revista de Cultura Vozes, No. Especial “Escolas de Comunicação e Profissionalização”. Petrópolis: Vozes, Ano 66, Vol. 66, No. 8, Out. 1972.

Ferreira, Giovandro Marcus. As origens recentes: os meios de comunicação pelo viés do paradigma da sociedade de massa. In: Hohlfeld, Antonio, Martino, Luiz Claudio França, Vera Veiga (2001). (Orgs.), Teorias da comunicação: conceitos e escolas.Petrópolis: Vozes.

Ferreira, Jairo (2003). Campo acadêmico e epistemologia da comunicação. In: Lemos, André et al. (Orgs.) Mídia.br.Porto Alegre: Sulina.

Ferreira, Jairo (2007). Questões e linhagens na construção do campo epistemológico da Comunicação. In: Ferreira, Jairo (Org.). Cenários, teorias e metodologias da comunicação. Rio de Janeiro: E-papers.

Fuentes Navarro, Raúl El estudio de la comunicación desde una perspectiva sociocultural en América Latina. Diá-logos de la comunicación. Março 1992. Peru, n.49, pp. 16-25.

Herkman, Juha (2008). Current Trends in Media Research. Nordicom 29:1, pp. 145-159.

Hickson, Mark; Stacks, Don W. Teaching the Introductory Communication Theory Course to Undergraduates. Communication Quarterly, Vol. 41, No. 3, Summer 1993, pp. 261-268.

Hohfeldt, Antonio (2001). As origens antigas: a comunicação e as civilizações. In: Hohfeldt, Antonio; Martino, Luiz Claudio e França, Vera Veiga (Orgs.). Teorias da Comunicação. Petrópolis: Vozes.

Katz, Elihu (1987). Communications Research Since Lazarsfeld. The Public Opinion Quarterly, Vol. 51, Part 2, pp. 25-45.

Korman Dib, Sandra; Aguiar, Leonel de Azevedo; Barretos, Ivana. Economia política das cartografias profissionais: a formação específica para o jornalismo. Revista de Economia Política de las tecnologias de información y comunicación. Vol. 12, No. 2, Maio-Ago. 2010.

Lima, V. Profissões e formação teórica em comunicação. Revista Intercom. No. 62/63, 1991.

Lima, Venicio A. (2001). Mídia: teoria e política. São Paulo: Perseu Abramo.

Lopes, Maria Immacolata Vassalo (2003). Sobre o estatuto disciplinar do campo da Comunicação. In: Lopes, Maria Immacolata Vassalo (2003). Epistemologia da Comunicação. São Paulo: Loyola.

Maldonado, Alberto Efendy (2002). Explorações sobre a problemática epistemological no campo das ciências da Comunicação. Ciberlegenda No. 10.

Martino, Luiz Claudio. (2001). Elementos para uma epistemologia da Comunicação. In: VVAA. Campo da Comunicação. João Pessoa: Editora da UFPB.

Martino, Luis Mauro Sá (2008). A ilusão teórica no campo da comunicação. Famecos,No.38. Jun.-Ago. Porto Alegre.

Martino, Luis Mauro Sá (2009). Teoria da comunicação. Petrópolis: Vozes.

Martino, Luis Mautor Sá. O que foi Teoria da Comunicação? Um estudo da bibliografia 1964-1986. XXXIII Congresso da Intercom. Anais do XXXIII Congresso da Intercom.Caxias do Sul, 2 a 6 de setembro de 2010.

Mattos, M. A. (2007). Desafios para a formação e o reconhecimento da identidade teórico-epistemológica do campo comunicacional e seus agentes acadêmicos. In: Ferrreira, Giovandro Marcus; Martino, Luiz Claudio. Teorias da comunicação.Salvador, Edufba.

Meditsch, Eduardo. Crescer para os lados ou crescer para cima: o dilema histórico do campo acadêmico do jornalismo. Biblioteca Online de Ciências da Comunicação, Covilhã, 1999. Disponível em: <http://www.bocc.ubi.pt/pag/meditsch-eduardo-dilema-historico-jornalismo.pdf>. Acesso em: 5 jan. 2010.

Melo, José Marques (1974). Contribuições para uma pedagogia da comunicação. São Paulo: Paulinas.

Melo, José Marques (2009). História política das ciências da comunicação. Rio de Janeiro: Mauad.

Montardo, Sandra Portella. Comunicação: campo de mediações e de complexidade. Disponível em: <http://www.bocc.ubi.pt>. Acesso em: 3 jan. 2011.

Peruzzo, Cecilia M. Krohning. Tópicos sobre o ensino de comunicação no Brasil. Texto apresentado no V Lusocom. Maputo, Universidade Eduardo Mondlane, Abril de 2002. Disponível em . Acesso em: 5 jan. 2010.

Pignatari, Décio (1967). Contracomunicação. São Paulo: Perspectiva.

Romancini, Richard. O campo científico da comunicação no Brasil. São Paulo, Tese (Doutorado) – Escola de Comunicações e Artes – USP, 2006.

Sholle, David (1995). Resisting Disciplines: Repositioning Media Studies in the University. Communication Theory, 5 (2), pp. 130-143.

Streeter, Thomas (1995). Introduction: for the Study of Communication and Against the Discipline of Communication. Communication Theory, 5(2), pp. 117-129.

Varão, Rafiza. Notas Sobre o Mito dos Quatro Fundadores do Campo Comunicacional: Coisas que Ninguém Nunca Viu Antes e Pensamentos que Ninguém Teve. In: XXXI Congresso da Intercom. Natal, RN. Anais do XXXI Congresso da Intercom. 2 a 6 de setembro de 2008.

Villanueva, Eric Torrico (2010). Comunicación, de las matrices a los enfoques.Quito: Intiyan/Ciespal.

Published

2013-04-16

How to Cite

Sá Martino, L. M. (2013). Policy and epistemologial aspects of the foundations of communication research in Brazil. Folios, Revista De La Facultad De Comunicaciones Y Filología, (28), 161–177. Retrieved from https://revistas.udea.edu.co/index.php/folios/article/view/15108

Issue

Section

Artículos de investigación

Similar Articles

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 > >> 

You may also start an advanced similarity search for this article.