Narrativas de vida: pesquisa, formação e transformação social

  • Adriana Barroso de Azevedo

Resumen

O ensaio apresenta a pesquisa narrativa e seus fundamentos epistemológicos como proposta alternativa para o trabalho do pesquisador no campo da educação, em diálogo com os principais autores que fundamentam os estudos autobiográficos e narrativos. A intenção é proporcionar melhor compreensão dessa perspectiva tanto na pesquisa quanto na docência, uma vez que a abordagem narrativa assume esse duplo caráter, investigativo e formativo. Parte-se da noção de experiência em Larrosa e Heidegger, buscando apoio nos princípios teóricos da abordagem biográfica e, fundamentalmente, na pesquisa narrativa de Connelly e Clandinin. Espera-se com o texto contribuir para dar maior visibilidade ao debate que envolve as duas funções do método biográfico e da pesquisa narrativa, a investigação e a formação. Os estudos de narrativa compõem um capítulo importante das pesquisas sobre a compreensão como método, o tema mais amplo à luz do qual se abriga a conversa conduzida neste ensaio.

|Resumen
= 58 veces | PDF
= 34 veces|

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Adriana Barroso de Azevedo

Doutora em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (Umesp) e mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp)

Citas

BRUNER, Jerome. 2014. Fabricando histórias: direito, literatura, vida. São Paulo: Letra e Voz.

CONNELY, F. Michael.; CLANDININ, D. Jean. 2011. Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. Uberlândia: EDUFU.

DELORY-MOMBERGER, Christine. 2008. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. São Paulo: Paulus; Natal: EDUFRN. (Coleção Pesquisa (Auto) Biográfica-Educação).

DELORY-MOMBERGER, Christine. 2014. As histórias de vida: da invenção de si ao projeto de formação. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Brasília: EDUNEB.

FERRAROTTI, Franco. 2010. Sobre a autonomia do método biográfico. En: NÓVOA, Antonio; FINGER, Mathis (Orgs.). O método (auto) biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN.

FERRAROTTI, Franco. 2014. História e histórias de vida: o método biográfico nas ciências sociais. Natal, RN: EDUFRN.

HEIDEGGER, Martin. 2009. Ser e tempo. 4. ed. Petrópolis: Vozes.

JOSSO, Marie Christine. 2010. Experiências de vida e formação. 2. ed. rev. e ampl. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus.

LARROSA, Jorge. 2002. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28.

LARROSA, Jorge. 2004. Linguagem e educação depois de Babel. Belo Horizonte: Autêntica.

MORIN, Edgar. 2003. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

NÓVOA, Antonio; FINGER, Mathias. (Orgs). 2010. O método (auto)biográfico e a formação. São Paulo: Paulus; Natal: EDUFRN.

PASSEGGI, Conceição. 2011. A experiência em formação. Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 147-156. Disponible en: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8697>. [consultado el 5 nov. 2018].

PINEAU, Gaston; LE GRAND, Jean-Louis. 2012. As histórias de vida. Natal, RN: EDUFRN.

RICOEUR, Paul. 1991. O si-mesmo como um outro. Trad. Lucy Moreira César. Campinas, SP: Papirus.

Publicado
2019-05-11
Número
Sección
Artículos