Género, raza y formación docente: análisis de programa de estudio de la Escola de Educação Física e Desportos-UFRJ

Palabras clave: Identidad de Género; Origen Étnico y Salud; Desarrollo de Personal; Educación y Entrenamiento Físico.

Resumen

Objetivo: analizar los programas de estudio de las disciplinas obligatorias de la licenciatura en educación física en la Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a fin de establecer cómo las temáticas de género y raza son abordadas en la formación inicial. Método: se analizaron 68 programas de estudio, todos disponibles en el sistema integrado de gestión académica de la UFRJ. Resultados: se encontró que ninguna disciplina tenía su foco central en la discusión de al menos uno de estos temas. Apenas tres disciplinas abordaban explícitamente cuestiones de raza vinculadas a la cultura corporal, y sólo una trataba el tema de higienismo, lo que posibilitaría debates sobre diferentes identidades de género. Otras seis disciplinas mencionaban palabras afines a las temáticas abordadas en sus programas de estudio, sin profundizar la discusión. Conclusión: en consecuencia, en la institución investigada todavía no se aprecian los impactos de las construcciones socioculturales respecto a género y raza en los análisis de las relaciones y de los fenómenos sociales.

|Resumen
= 245 veces | HTML (PORTUGUÊS (BRASIL))
= 139 veces|

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Pedro Henrique Zubcich Caiado de Castro, UNIVERITAS

- Estudiante de doctorado en Educación - UFRJ 

- Máster en Educación Física - UFRJ.  

- Licenciado en Educación Física - UFRJ. - Grupo Cuerpo, Cultura y Sociedad - UNIVERITAS RJ.

- Centro de Estudios Sociocorporales y Pedagógicos en Educación Física y Deportes (NESPEFE).

- Coordinador del curso de Educación Física - UNIVERITAS RJ.

Guilherme Gonçalves Baptista, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

- Doctor en Educación, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

- Licenciado en Educación Física, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

- Miembro del núcleo de Estudos Sociocorporais e Pedagógicos em Educação Física e Esportes (NESPEFE).

- Docente EBTT de Educação Física; Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

Citas

Baptista, G. G. (2015). A formação de professores na Escola de Educação Física e Desportos de 1979 a 1985: A educação do corpo e os territórios de diálogo (Dissertação de mestrado). Escola de Educação Física e Desportos - Universidade Federal do Rio de Janeiro). Rio de Janeiro, Brasil.

Baptista G., G.(2019). As marcas de um campo em debate: Os testes de Aptidão Física na Escola de Educação Física e Desportos-UFRJ (1968-1990). (Tese de doutoramento, Faculdade de Educação - Universidade Federal do Rio de Janeiro). Rio de Janeiro, Brasil.

Carvalho, M (2001). Mau aluno, boa aluna? Como as professoras avaliam meninos e meninas. Estudos Feministas, 9(2), 554-574.

Cavalcanti, K. (1984). Esporte para Todos: Um discurso ideológico. São Paulo, Brasil: IBRASA.

Cruz, G. B. & Castro, P. H. Z. C.(2019). A didática e a formação do professor de Educação Física: Uma análise a partir da avaliação de alunos concluintes. Pro-Posições, 30(e20160106), 1-25.

Darido, S. C (2014). Educação Física na Escola: Implicações para a prática pedagógica (2ª ed.). Rio de Janeiro, Brasil: Guanabara Koogan.

Dubet, F (2004). O que é uma escola justa? Cadernos de Pesquisa, 34(123), 539-555.

Ferraz, O.L. & Correia, W. R (2012). Teorias curriculares, perspectivas teóricas em Educação Física Escolar e implicações para a formação docente. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 26(3), 531-40.

Fraser, N (2001). Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas da justiça da era pós-socialista. In: J. Souza (Org.), Democracia hoje (245-282). Brasília, Brasil: Editora Universidade de Brasília.

Goellner, S. V (2005). A produção cultural do corpo (2ª ed.). In: G. L. Louro, J. Felipe & S. V. Goellner (Orgs.). Corpo, gênero e sexualidade: Um debate contemporâneo na educação (28–40). Petrópolis, Brasil: Vozes.

Goffman, E (2008). Estigma: Notas sobre a manipulação da identidade deteriorada (4ª ed.). Rio de Janeiro, Brasil: LTC.

Hirschman, A. O (1992). A retórica da intransigência: Perversidade, futilidade, ameaça. São Paulo, Brasil: Companhia das Letras.

Mendes, M. I. B. de S. & Nobrega, T. P (2008). O Brazil-Medico e as contribuições do pensamento médico-higienista para as bases científicas da educação física brasileira. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 15(1), 209-219.

Mont'alvao, A (2011). Estratificação educacional no Brasil do século XXI. DADOS – Revista de Ciências Sociais, 54(2), 389-430.

Monteiro, M. V. P (2017) A construção identitária nas aulas de educação física. Revista Brasileira de Educação, 22(69), 339-359.

Porter, R (1991). História do corpo (2ª ed.). In: P. BURKE (Org.). A escrita da história: Novas perspectivas (291-326) [Magda Lopes: tradução]. São Paulo, Brasil: UNESP.

Ribeiro, C. C (2011). Desigualdade de oportunidades e resultados educacionais no Brasil. DADOS – Revista de Ciências Sociais, 54(1), 41-87.

Roldão, M do C (2007). Função docente: Natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, 12(34), 94-181.

Soares, C. L. (1994). A negragada instituição. Os capoeiras no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil: Biblioteca Carioca.

Taborda de Oliveira, M. A (2006). A título de apresentação Educação do corpo na escola brasileira: Teoria e história. In: M. A. Taborda de Oliveira (Org.). Educação do corpo na escola brasileira. Campinas, Brasil: Autores Associados.

Teixeira, S (2009). O esporte para todos: “popularização” do lazer e da recreação. Recorde: Revista de História do Esporte, 2(2), 1-28.

Publicado
2020-03-04
Cómo citar
Castro, P. H. Z. C. de, & Baptista, G. G. (2020). Género, raza y formación docente: análisis de programa de estudio de la Escola de Educação Física e Desportos-UFRJ. Educación Física Y Deporte, 38(2). https://doi.org/10.17533/udea.efyd.v38n2a05
Sección
Artículos de Investigación