The meaning of death and dying for nursing students

  • Farley Soares Cantídio Enfermeiro. Servidor Público do Hospital Universitário Clemente de Faria de Montes Claros, Brasil. email: arleysoaresc@yahoo.com.br
  • Maria Aparecida Vieira Enfermeira, Mestre em Enfermagem. Professora da Universida de Estadual de Montes Claros, Brasil. email: di.vieira@ig.com.br.
  • Roseni Rosângela de Sena Enfermeira, Doutora em Enfermagem. Professora da Universida Federal de Minas Gerais, Brasil. email: rosenisena@uol.com.br
Keywords: Attitude to death; students, nursing; education.

Abstract

Objective. To describe the meaning of death and dying for students in the last year of nursing in the Estatal de Montes Claros University, Minas Gerais, Brazil.

Methodology. Exploratory qualitative study, which used guided semistructured interview as instrument to collect data. Nursing students enrolled in the program in 2010 who were in the 7th and 8th semester were studied. Data was analyzed using the discourse analysis technique.

Results. Interviewees saw death as a “mystery”, “loss” of a loved one, and as a “transition” or “passing” from life existence to other one after death. When building meanings about finity, they expressed sadness, suffering and impotence towards the few lived experiences. For students, undergraduate training has contributed a little to the care of dying people.

Conclusion. Participating students have a deficient trai­ning in care concepts and methodologies for people coping with death.

|Abstract
= 267 veces | PDF (PORTUGUÊS)
= 384 veces| HTML (PORTUGUÊS)
= 140 veces|

Downloads

Download data is not yet available.

References

(1) Rodriguez CF. O que os jovens têm a dizer sobre a adolescência e o tema da morte? (Mestrado em Psicologia Escolar e Desenvolvimento Humano). São Paulo: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia; 2005. 256 p.

(2) Caputo RF. O homem e suas representações sobre a morte e o morrer: um percurso histórico. Rev Saber Acad. 2008;(6):73-80.

(3) Pazin-filho A. Morte: considerações para a prática médica. Em: Simpósio Morte, valores e dimensões. II Jornada da liga de assistência médico-social. Ribeirão Preto: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP; 2005. p.20-5.

(4) Cassorla RMS. Esteja ao meu lado. En: Kovács MJ. Educação para a morte: desafio na formação de profissionais de saúde e educação. 1a ed. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2003. p.13-9.

(5) Martins TBQ. Concepções de morte e estratégias de enfrentamento: um estudo com crianças de 6 a 10 anos com e sem experiência de perda por morte recente (Mestrado em Psicologia). Espírito Santo: Universidade Federal do Espírito Santo. Programa de Pós-graduação em Psicologia; 2006.

(6) Teixeira PF. Diante da morte: representações sociais da morte em enfermeiros (Mestrado em Comunicação em Saúde). Lisboa: Universidade Aberta; 2006.

(7) Carvalho LS, Oliveira MAS, Portela SC, Silva CA, Oliveira ACP, Camargo CL. A morte e o morrer no cotidiano de estudantes de enfermagem. Rev Enferm UERJ. 2006; 14(4):551-7.

(8) Bellato R, Carvalho EC. O jogo existencial e a ritualização da morte. Rev Lat Am Enfermagem. 2005;13(1):99-104.

(9) Carvalho FPB. A morte na concepção de estudantes de enfermagem (Mestrado em Enfermagem). Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Pós-graduação em Enfermagem; 2009.

(10) Nascimento CAD, Silva AB, Silva MC, Pereira MHM. A significação do óbito hospitalar para enfermeiros e médicos. Rev Rene. 2007;7(1): 52-60.

(11) Oliveira WIA, Amorim RC. A morte e o morrer no processo de formação do enfermeiro. Rev Gaucha Enferm. 2008;29(2):191-8.

(12) Alencar SCS, Lacerda MR, Centa ML. Finitude humana e enfermagem: reflexões sobre o (des)cuidado integral e humanizado ao paciente e seus familiares durante o processo de morrer. Rev Fam Saúde Desenv. 2005;7(2):171-80.

(13) Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11a ed. São Paulo: Hucitec; 2008. 407p.

(14) Minayo MCS, Deslandes SF, Gomes R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 25a ed. Petrópolis: Editora Vozes; 2007.

(15) Rampazzo L. Metodologia científica. 3a ed. São Paulo: Edições Loyola; 2005.

(16) Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 9a ed. rev. e aprimorada. São Paulo: Hucitec; 2006.

(17) Minayo MCS, Assis SG, Souza ER. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2005.

(18) Azeredo NSG. O acadêmico de medicina frente à morte: questões para se (re)pensar a formação (Mestrado em Pediatria). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas; 2007.

(19) Takahashi CB, Contrin LM, Beccaria LM, Goudinho MV, Pereira RMA. Morte: percepção e sentimentos de acadêmicos de enfermagem. Arq Ciênc Saúde. 2008;15(3):132-8.

(20) Oliveira JR, Brêtas JRS, Yamaguti L. A morte e o morrer segundo representações de estudantes de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2007;41(3):386-94.

(21) Bernieri J, Hirdes A. O preparo dos acadêmicos de enfermagem brasileiros para vivenciarem o processo morte-morrer. Rev Texto Contexto Enferm. 2007;16(1):89-96.

(22) Bosco AG. Perda e luto na equipe de enfermagem do centro cirúrgico de urgência e emergência (Tesis Mestrado em Enfermagem Psiquiátrica). São Paulo: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; 2008.

(23) Shimizu HE. Como os trabalhadores de enfermagem enfrentam o processo de morrer. Rev Bras Enferm. 2007;60(3):257-62.

(24) Kovács MJ. Desenvolvimento da Tanatologia: estudos sobre a morte e o morrer. Paidéia (Ribeirão Preto). 2008;18(41):457-68.

(25) Costa JC, Lima RAG. Luto da equipe: revelações dos profissionais de enfermagem sobre o cuidado à criança/adolescente no processo de morte e morrer. Rev Lat Am Enfermagem. 2005;13(2):151-7.

(26) Sadala MLA, Silva FM. Cuidando de pacientes em fase terminal: a perspectiva de alunos de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2009;43(2):287-94.

(27) Diniz D. Quando a morte é um ato de cuidado: obstinação terapêutica em crianças. Cad Saúde Pública. 2006;22(8):1741-8.

(28) Pinho LMO. Vivenciando o processo da morte na formação acadêmica do enfermeiro (Tese Doutorado em Ciências da Saúde). Programa de Pós-Graduação em Ciências Convênio Rede Centro-Oeste (UnB/UFG/UFMS); 2008.

Published
2011-11-28
How to Cite
Cantídio, F. S., Aparecida Vieira, M., & Rosângela de Sena, R. (2011). The meaning of death and dying for nursing students. Investigación Y Educación En Enfermería, 29(3). Retrieved from https://revistas.udea.edu.co/index.php/iee/article/view/8019
Section
ORIGINAL ARTICLES / ARTÍCULOS ORIGINALES / ARTIGOS ORIGINAIS