Consistência interna e verificação da estrutura fatorial em estudantes portugueses/as do ensino superior

Autores/as

  • Carla Serrão Instituto Politécnico do Porto
  • Nilton Formiga Faculdade Mauricio de Nassau

Palabras clave:

Conciliação da vida profissional e familiar, Antecipação da conciliação, Estudantes

Resumen


Na investigação empreendida junto de uma amostra de 408 estudantes do Ensino Superior recorreu-se à Escala de Estratégias de Conciliação da Vida Familiar e Profissional de para avaliar as variáveis Conciliação através da Concessão e Conciliação através da Negociação. Observouse que os/as participantes do estudo tendem a concordar com a negociação como estratégia para a conciliação, contudo verificam-se diferenças estatisticamente significativas no que diz respeito às variáveis sexo e orientação política. Neste sentido, são os homens e as pessoas com orientação política de direita/centro direita que tendem a discordar menos da concessão como estratégia de conciliação entre vida profissional e familiar.
|Resumen
= 20 veces | PDF
= 17 veces|

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Métricas

Cargando métricas ...

Biografía del autor/a

Carla Serrão, Instituto Politécnico do Porto

Doutora em Psicologia e Professora Adjunta da Unidade Técnico-científica de Psicologia, Escola Superior

de Educação do Instituto Politécnico do Porto, Portugal.

Citas

Andrade, M.C.P. (2006). A antecipação da conciliação dos papéis familiares e profissionais na transição para a idade adulta: estudo diferencial e inter-geracional. Dissertação de Doutoramento não publicada. Porto, FPCE, UP.

Bilich, F.; Silva, R.; Ramos, P. (2006). Análise de flexibi-lidade em economia da informação: modelagem de equações estruturais. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação, 3 (2), 93-122.

Bobbio, N. (1994). Liberalismo e democracia. São Paulo, Brasiliense.

Byrne, B. M. (2001). Strutural equation modeling with Amos: Basic concepts, applications, and pro-gramming. Londres: Lawrence Erlbaum.

Cohen, J. (1992). A power primer. Psychological Bulle-tin. 112(1), 155-159.

Crisholm, L. & Hurrelmann, K. (1995). Adolescence in modern Europe: pluralized transition patternsand their implications for personal and social risks. Journal of Adolescence, 18, 129-158.

Guerreiro, M. D. & Abrantes, P. (2004). Moving into adulthood in southern European country: tran-sitions in Portugal. Portuguese Journal of Social Sciences.3 (3), 191-209.

Guerreiro, M., & Pereira, I. (2006). Responsabilidade Social das Empresas, Igualdade e Conciliação Trabalho-família: Experiências do Prémio Igual-dade é Qualidade. Lisboa, CITE.

Granrose, C. S. (1985). Plans for work careers among college women who expect to have families. Vocational Guidance Quarteriy, 33, 284-295.

Hair, J. F., Tatham, R. L., Anderson, R. E. & Black, W. (2005). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Ikkink, K. Tilburg, T. & Knipscheer, K (1999). Perceived instrumental support exchanges in relationships between elderly parents and their adult children. Journal of Marriage and the Family, 61, 831-844.

Joreskög, K. & Sörbom, D. (1989). LISREL 7 user’s ref-erence guide. Mooresville: Scientific Software.

Kelloway, E. K. (1998). Using LISREL for structural equa-tion modeling: A researcher’s guide. Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

Matias, M., Silva, A., & Fontaine, A. M. (2011).Con-ciliação de papéis e parentalidade: efeitos de género e estatuto parental. Exedra, 5.

Matias, M., Fontaine, A., Simão, C. Oliveira, E., & Men-donça, M. (2010). A conciliação trabalho-família em casais de duplo emprego. Universidade do Minho, Atas do VII Simpósio Nacional de Investi-gação em Psicologia, p. 963-977.

Matias, M., Silva, A. & Fontaine, A. (2011). Conciliação de papéis e parentalidade: efeitos de género e estatuto parental. Retirado em dezembro de 2012, de http://www.exedrajournal.com/docs/N5/06A-Matias-Conciliacao.pdf

Muenjohn, N. & Armstrong, A. (2007). Transformation-al Leadership: The influence of culture on the leadership behaviors of expatriate managers. International Journal of Business and Informa-tion, 2, 265-283.

Perista, H. (2002). Género e trabalho não pago: os tempos das mulheres e os tempos dos homens. Análise Socia , 37, 447-474.

Riley, L. A. & Glass, J. L. (2002). You can’t always get what you want-infant care preferences and use among employed mothers. Journal of Marriage & Family, 64, 2-15.

Risman, B. J. & Ferrée, M. M. (1995). Making gender vis-ible. American Sociological Review, 60, 775-782.

Steffy, B. D., & Jones, J. W. (1988). The impact of family and career planning variables on the orga-nizational, career, and community commitment of professional women. Journal of Vocational Behavior, 32, 196-212.

Torres, A. C. (1996). Casar? Por que nâo? Práticas e perspectivas de jovens portugueses sobre o casamento e família. In Jovens em Mudança, Actas do Congresso Internacional growing up between center and periphery, Lisboa, Instituto de Ciências, 201-221.

Torres, A. C. (2004). Vida Conjugal e Trabalho: Uma perspectiva Sociológica. Oeiras: Celta Editora.Triandis, H. C. (1996). The psychological measurement of cultural syndromes. American Psychologist, 51, 407-415.

Triandis, H. C. e cols. (1993). Na etic-emic analysis of individualism and collectivims. Journal of Cross-Cultural Psychology, 24, 366-383.

Van de Vijver, F. & Leung, K. (1997). Methods and data analysis for cross-cultural research. Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

Wall, K. (1995). Apontamentos sobre a família na política social portuguesa. Análise Social, 30, 431-458.

Weitzman, L. M. (1994). Multiple-role realism: a theo-retical framework for the process of planning to combine career and family roles. Applied and Preventive . Psychology, 3, 15-25.

Descargas

Publicado

2013-07-02

Cómo citar

Serrão, C., & Formiga, N. (2013). Consistência interna e verificação da estrutura fatorial em estudantes portugueses/as do ensino superior. Revista De Psicología Universidad De Antioquia, 4(2), 7–19. Recuperado a partir de https://revistas.udea.edu.co/index.php/psicologia/article/view/15478

Número

Sección

Artículos de investigación