Permanent education in health. An instrument to enhance interpersonal relations in nursing work

Authors

  • Laurelize Rocha RN, M.Sc. Candidate, FURG/RS, Brazil. laurinharoch@hotmail.com.
  • Juliane Ribeiro RN, Psychologist, Ph.D Candidate, Universidade Federal do Rio Grande -FURG/RS-, Brazil. ju_ribeiro1985@hotmail.com.

Keywords:

Nursing; Education; Health education.

Abstract


This is a reflexive study about the need to adopt Permanent Education in Health, as an instrument capable of transforming interpersonal relations in nursing work, as it values and respect collective construction with a view to the qualification of care. Privileging specialization programs only, with a focus on work techniques, on educative processes, as a training strategy for health services, ends up reinforcing the fragmentation of care, teams and the work process. In conclusion, Permanent Education in Health serves not only as teaching and learning practice to update and transform practices, but also influences team relations, transforming joint action processes and, at the same time, implying each subject-worker involved in health practices.

|Abstract
= 20 veces | RESUMEN | RESUMO
= 8 veces| | HTML (ENGLISH)
= 2 veces| | PDF (ENGLISH)
= 8 veces| | PDF (PORTUGUÊS)
= 7 veces| | MCORREAHOYOS, CARTADERECHOSAUTORIA.PDF
= 0 veces| | MCORREAHOYOS, CURRICULUMAUTORES JULIANE.PDF
= 0 veces| | MCORREAHOYOS, CURRICULUMAUTORES LAURELIZE.PDF
= 0 veces|

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

References

(1) Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. SUS: avanços e desafios. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Brasília: CONASS, 2006 [Internet] . [cited 2012 February 21] . Available from: http://www.conass.org.br/arquivos/file/susavancosedesafios.pdf

(2) Costa EP. Técnicas de dinâmica: facilitando o trabalho com grupos. Rio de Janeiro: WAK; 2002.

(3) Zabalza MA. Estruturas organizacionais das instituições universitárias. In: Zabalza MA. O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed; 2004. p. 67-104.

(4) Osorio LC. Psicologia grupal: uma nova disciplina para o advento de uma era. Porto Alegre: Artmed; 2003.

(5) Davis K, Newstrom JW. Comportamento humano no trabalho: Uma abordagem psicológica. São Paulo: Pioneira Thomson Learning; 2002.

(6) Lane STM, Codo W, Andery AA, Neto AN, Ciampa AC, Carone I, et al. Psicologia social: o homem em movimento. 10. ed. São Paulo: Brasiliense; 2006.

(7) Oliveira BR, Lopes TA, Vieira CS, Collet N. O processo de trabalho da equipe de enfermagem na UTI neonatal e o cuidar humanizado. Texto Contexto Enferm. 2006; 15 (n. esp):105-13.

(8) Delors J. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. Destaques. Brasília: MEC/UNESCO; julho de 2010 [Internet] . [cited 2012 February 20] . Available from: http://unesdoc.unesco.org/images/0010/001095/109590por.pdf

(9) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS / Ministério da Saúde, Secretaria Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. – Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

(10) Ceccim RB. Educação Permanente em Saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface - Comunic, Saúde, Educ.2005; 16(9):161-77.

(11) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Política de educação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde: pólos de educação permanente em saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação na Saúde.– Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

(12) Ceccim RB, Ferla AA. Educação Permanente em Saúde. In: Bahia. Secretaria da Saúde. Superintendência de Recursos Humanos da Saúde. Escola Estadual de Saúde Pública. Estágio de vivência no SUS: o cotidiano do SUS enquanto princípio educativo, coletânea de textos / Secretaria da Saúde. Superintendência de Recursos Humanos da Saúde. Escola Estadual de Saúde Pública. - Salvador: SESAB; 2009. p.70-5.

(13) Pease APF, Moarais MEP, Crivellaro JLG. Educação permanente em saúde. [Internet] . [cited 2010 Novembre 11] . Available from: http://www.uniandrade.edu.br/links/menu3/publicacoes/revista_enfermagem/artigo042.pdf

(14) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação em Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação em Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

(15) Batista KBC, Gonçalves OSJ. Formação dos Profissionais de Saúde para o SUS: significado e cuidado. Saúde Soc. 2011; 20(4):884-99.

(16) Smaha IN, Carloto CM. Educação permanente: da pedagogia para a saúde. [Internet] . [Cited 2010 Novembre 16] . Available from: http://www.estudosdotrabalho.org/anais-vii-7-seminario-trabalho-ret-2010/india_nara_smaha_cassia_maria_carloto_educacao_permanente_da_pedagogia_para_a_saude.pdf

(17) Freire, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 37ª. ed. São Paulo: Paz e Terra; 2008.

Published

2012-12-11

How to Cite

Rocha, L., & Ribeiro, J. (2012). Permanent education in health. An instrument to enhance interpersonal relations in nursing work. Investigación Y Educación En Enfermería, 30(3). Retrieved from https://revistas.udea.edu.co/index.php/iee/article/view/11103

Issue

Section

ESSAY / ENSAYO / ENSAIO

Similar Articles

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 > >> 

You may also start an advanced similarity search for this article.