The protection of children and adolescents from violence

  • Juliane Portella Ribeiro RN, Ph.D. candidate. Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Brazil. email: ju_ribeiro1985@hotmail.com.
  • Mara Regina Santos da Silva RN, Ph.D., Professor. FURG, Brazil. email: marare@brturbo.com.br.
  • Marta Regina Cezar-Vaz RN, Ph.D., Professor. FURG, Brazil. email: cezarvaz@vetorial.net.
  • Priscila Arruda da Silva RN, Ph.D. candidate. FURG. Brazil. email: patitaarruda@yahoo.com.br.
  • Bárbara Tarouco da Silva RN, Ph.D. candidate, Professor. FURG, Brazil. email: barbaratarouco@yahoo.com.br.
Keywords: Violence, nursing, health public policy.

Abstract

In this paper, public protection policies for children and adolescents are analyzed from a health perspective. Interfaces between them, public protection and health policies are presented. Then, the policies are discussed from a conceptual and philosophical viewpoint, also considering the limitations and potentials observed. Findings showed that the strong impact of violence on child and adolescent morbidity and mortality in the Brazilian population has lead to the restructuring of the victim protection network, demanding problem-solving care. Nurses’ inclusion in the child and adolescent protection network is fundamental, as these professionals are in a strategic position to identify risks and possible victims.

|Abstract
= 23 veces | RESUMEN | RESUMO
= 2 veces| PDF (ENGLISH)
= 7 veces| HTML (ENGLISH)
= 0 veces| HTML (PORTUGUÊS)
= 21 veces| MCORREAHOYOS, DECLARAÇAO DE RESPONSABILIDADE E TRANSFERENCIA DE DIREITOS AUTORAIS.PDF
= 0 veces| MCORREAHOYOS, CURRICULUMAUTORES JULIANE.PDF
= 0 veces| MCORREAHOYOS, CURRICULUMAUTORES MARA.PDF
= 0 veces| MCORREAHOYOS, CURRICULUMAUTORES MARTA.PDF
= 0 veces| MCORREAHOYOS, CURRICULUMAUTORES PRISCILA.PDF
= 0 veces| MCORREAHOYOS, CURRICULUMAUTORES BARBARA.PDF
= 0 veces|

Downloads

Download data is not yet available.

References

(1) Pesce R. Violência familiar e comportamento agressivo e transgressor na infância: uma revisão da literatura. Cien Saude Colet. 2009; 14(2): 507-18.

(2) Equipe RT Vade Mecum RT.. 3rd ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais; 2010.

(3) Brasil, Ministério da Saúde. Estatuto da Criança e do Adolescente. 3rd ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde; 2008.

(4) Brasil. Ministério da Saúde. Sistema de Informação para a Infância e Adolescência (SIPIA) [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2011 [cited 2011 Jan 10]. Available from: http://www.sipia.com.br.

(5) Martins CBG, Jorge MHPM. A violência contra criança e adolescentes: características epidemiológicas dos casos notificados aos Conselhos Tutelares e programas de atendimento em municípios do Sul do Brasil, 2002 e 2006. Epidemiol Ser Saúde. 2009; 18: 315-334.

(6) Magalhães MLC, Reis JTL, Furtado FM, Moreira AMP, Fernandes FN, Filho C, Carneiro PSM, Firmino SL. O profissional de saúde e a violência na infância e adolescência. Femina. 2009; 37: 547-551.

(7) Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violência. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.

(8) República Federativa do Brasil. Portaria N° 936, de 18 de maio de 2004. Diário Oficial da União, No 96, (20-05-2004).

(9) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Notificação de maus tratos contra crianças e adolescentes pelos profissionais de saúde: um passo a mais na cidadania em saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

(10) Algeri S. A violência infantil na perspectiva do enfermeiro: uma questão de saúde e educação. Rev Gaúcha Enferm. 2005; 26(3):308-15.

(11) Krug EG, Dahlberg LL, Mercy JA, Zwi AB, Lozano R, editors.World report on violence and health. Geneva, World Health Organization; 2002.

(12) Minayo MCS. Violência sob o olhar da saúde: a infrapolítica da contemporaneidade brasileira. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2003.

(13) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Violência intrafamiliar: orientações para prática em serviço. Brasília: Editora do Ministério da Saúde; 2002. Série Cadernos de Atenção Básica: 8.

(14) Gawryszewski VP, Silva MMA, Malta DC, Mascarenhas MDM, Costa VC, Matos SG, Moraes Neto OL, Monteiro RA, Carvalho CG, Magalhães ML. A proposta da rede de serviços Sentinela como estratégia da vigilância de violências e acidentes. Cien Saude Colet. 2007; 11(Supl 0):1269-78.

(15) Abramovay M, Castro MG, Pinheiro LC, Lima FS, Martinelli CC. Juventude, violência e vulnerabilidade social na América Latina: desafios para políticas públicas. Brasília: UNESCO, BID; 2002.

(16) Grüdtner DI. Violência intrafamiliar contra a criança e o adolescente: reflexões sobre o cuidado de enfermeiras [Dissertation]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2005.

(17) Silva LMP. Violência doméstica contra a criança e o adolescente. Recife: EDUPE; 2002.

(18) UNICEF. Famílias parceiras ou usuárias eventuais? Análise dos serviços de atenção a famílias com dinâmica de violência doméstica contra criança e adolescente. Brasília: CLAVES/ FIOCRUZ; 2004.

(19) Santos LES, Ferriani MGC. Ações do Conselho Tutelar e seu envolvimento com a violência infantil. Pediatr Mod. 2009; 45(6):215-9.

(20) Gonçalves HS, Ferreira AL. A notificação da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes por profissionais de saúde. Cad Saúde Pública. 2002; 18(1):315-9.

(21) Zottis GAH, Algeri S, Portella VCC. Violência intrafamiliar contra a criança e as atribuições do profissional de enfermagem. Fam Saúde Desenv. 2006; 8(2):146-53.

(22) Martins CS, Ferriani MGC, Silva MAI, Zahr NR, Arone KMB, Roque EMST. A dinâmica familiar na visão de pais e filhos envolvidos na violência doméstica contra crianças e adolescentes. Rev Latino-am Enfermagem. 2007; 15(5):889-94.

(23) Deslandes SF, Assis SG, organizadores. Famílias - parceiras ou usuárias eventuais? Análise de serviços de atenção a famílias com dinâmica de violência doméstica contra crianças e adolescentes. Rio de Janeiro: UNICEF/FIOCRUZ/CLAVES; 2003.

(24) Costa ACM. A atuação do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família frente a situações de violência doméstica. Sobral: Universidade Estadual Vale do Acaraú, Escola de Formação em Saúde da Família Visconde de Sabóia, Residência em Saúde da Família; 2007.

(25) Ferraz MIR, Lacerda MR, Labronici LM, Maftum MA, Raimondo ML. O cuidado de enfermagem a vítimas de violência doméstica. Cogitare Enferm. 2009; 14(4): 755-9.

Published
2013-04-08
How to Cite
Ribeiro J. P., Silva M. R. S. da, Cezar-Vaz M. R., Silva P. A. da, & Silva B. T. da. (2013). The protection of children and adolescents from violence. Investigación Y Educación En Enfermería, 31(1). Retrieved from https://revistas.udea.edu.co/index.php/iee/article/view/11520
Section
ESSAY / ENSAYO / ENSAIO